A Importância da Higienização e Assepsia no Chopp
Última atualização:

A Importância da Higienização e Assepsia no Chopp

O mestre cervejeiro leva vários anos refinando e aperfeiçoando sua criação até chegar na fórmula ideal. Todo esse trabalho na qualidade e no sabor desse chopp podem ser facilmente arruinados: o chopp que sai do barril pode ser contaminado dentro da chopeira em questão de segundos, saindo pela torneira já alterado. É fundamental a manutenção e higienização da chopeira periodicamente para garantir o servir de um excelente chopp.

Os fabricantes de chopp sabem da importância da limpeza adequada e do impacto que ela tem em seus produtos, reputação e vendas. A maioria das cervejarias publica procedimentos e cronogramas de limpeza das linhas e tanques de cerveja dentro de suas políticas de garantia de qualidade. Essas políticas são monitoradas e aplicadas também aos distribuidores autorizados e revendedores.

Dentro da chopeira, os contaminantes do chopp são:

Bactérias
Podem surgir pelo contato manual indevido com partes internas da chopeira. A grande maioria das bactérias encontradas no chopp não são significativamente perigosas para a saúde humana; no entanto, seu efeito é perceptível na aparência, aroma e sabor do chopp. A presença de bactérias resulta em uma aparência turva que torna o chopp pouco atraente. Um chopp com sabor azedo, cheiro de vinagre ou de ovo podre pode indicar que uma máquina de chopp está contaminado com bactérias.

Fungos
Leveduras podem já existir em pequena quantidade vinda do processo de fabricação do chopp. Mofo e bolores podem surgir por esporos transportados pelo vento. É geralmente encontrada nos componentes da choperia que ficam expostos ao ambiente externo, como torneiras, cantos de mangueiras, acopladores de barris e drenos, e podem ser reconhecidas pela sua cor branca, cinza, marrom ou preta.

Pedra de cerveja
As matérias-primas, grãos e água utilizados no processo de fermentação contêm cálcio e magnésio. Ácidos oxálicos e sais estão presentes no lúpulo e podem ser criados durante o processo de malteação da cevada. A combinação desses ingredientes e o fato de que o chopp é dispensado em temperaturas frias pode resultar em depósitos de sólidos conhecidos como Beerstone. A “pedra de cerveja” irá acumular-se e eventualmente descamar no interior dos tubos se o sistema não for mantido adequadamente, dando aquela coloração amarelada as mangueiras e superfícies internas. Quando maiores tem aparência de flocos na cor cinza ou marrom acastanhado.

Higienização e Assepcia

Assepsia da Chopeira é um processo de limpeza da tubulação interna por onde passa o chopp, do barril até a torneira. É utilizado um tanque com auxílio de uma bomba que faz a recirculação do produto de limpeza ácido ou alcalino que tem por função eliminar todos os microrganismos e substancias que ali ficam acumulados durante o uso do equipamento. Limpadores alcalinos (cáusticos) atacam e dissolvem proteínas, carboidratos, resinas de lúpulo e biofilmes, também são muito eficazes em matar fungos, bactérias e leveduras. Limpadores de linha de ácido dissolvem minerais que são comumente referidos como pedra de cerveja.

Período entre Limpezas

O ideal é que as chopeiras sejam limpas 2 vezes por mês. Em alguns casos pode-se tolerar uma única limpeza mensal com cuidados adicionais:

  • Monitorar a qualidade do chopp pelo sabor, aroma, espuma e cor.
  • Evitar o contato manual com as partes internas, principalmente a ponta da torneira e o acoplador de barril.
  • Não deixar chopp parado dentro do equipamento desligado ou sem uso. Fazer purga com água limpa e soprar com CO2 até secar.
NBR 5858 Calculo Simplificado de Carga Térmica
Última atualização:

NBR 5858 Calculo Simplificado de Carga Térmica

A UltraService apresenta com exclusividade o Calculo Simplificado de Carga Térmica em formato calculadora para ser preenchido online, seguindo a norma brasileira NBR 5858-1983. A obtenção dos valores e a interpretação dos resultados devem ser feitos por profissional qualificado e capacitado, sendo deste a inteira responsabilidade.

O mapa alternativo ao Anexo B de Fator Geográfico pode ser baixado aqui: Mapa de Fator Geografico UltraService

Página 10 da NBR 5858-1983:

7.1 Formulário – Instruções

7.1.1. Este formulário é utilizado para estimar a carga térmica de conforto nas instalações de condicionadores de ar, que não requeiram condições especificas de temperatura e umidade, tais como salas de estar, dormitório, escritórios ou restaurantes.

7.1.2 Os seus fatores são baseados nas temperaturas externas de bulbo seco 38°C e bulbo úmido 34°C. O formulário pode ser usado nas diversas localidades do território nacional, aplicando-se o coeficiente de correção para o local em particular, obtido no mapa (Anexo B).

7.1.3 Na utilização do formulário, recomenda-se preparar um croqui do ambiente a ser condicionado, mostrando as dimensões do ambiente, janelas, portas e outros elementos que possam influir na carga térmica, indicando ainda a direção norte-sul.